Arquivos do Blog

Guia Alimentar para a Saúde do Coração

CORAÇÃO

Recomendações alimentares para a saúde do seu coração

A alimentação saudável é indispensável para a prevenção e tratamento de doenças, inclusive as do coração. Com as recomendações abaixo, você terá uma alimentação equilibrada e saudável.

Aprendendo sobre os diferentes tipos de gorduras:

Saturadas: são aquelas que promovem o aumento dos níveis de colesterol. São encontradas principalmente nas gorduras das carnes, leite integral e seus derivados, biscoitos recheados, croissants, tortas, sorvetes cremosos, coco, gordura de coco e azeite de dendê.

Polinsaturadas: são aquelas que não promovem o aumento do colesterol. São encontradas em alguns óleos vegetais (soja, milho, girassol) e margarinas cremosas, e estão presentes também na gordura de alguns peixes (cavala, arenque, truta, sardinha).

Monoinsaturadas: também não promovem o aumento do colesterol. São encontradas principalmente no azeite de oliva, óleo de canola, amendoim, avelã, nozes, castanha de caju e abacate.

Gordura Trans: outro tipo de gordura que aumenta o colesterol. Os alimentos ricos em gorduras trans são as margarinas, gorduras industriais utilizadas na preparação de sorvetes, chocolates, cremes, molhos prontos, maionese e algumas sobremesas cremosas e gordura hidrogenada utilizada para frituras.

Colesterol: o colesterol presente nos alimentos interfere nos níveis de colesterol no sangue. Encontrado apenas em alimentos de origem animal.

Triglicérides: é um tipo de gordura presente no sangue, que em níveis elevados pode estar associado ao consumo de alimentos gordurosos e ricos em carboidratos (açúcar, mel, bolos, doces em geral, chocolates, balas, refrigerantes, pães, massas, tortas, fubá e farinhas). A bebida alcoólica também deve ser evitada.

Dicas Importantes:

1. Inclua fibras na alimentação: cereais, verduras, legumes e leguminosas (feijão, soja, lentilha, grão de bico).

2. Alterne carnes vermelhas magras com peixes e aves durante a semana.

3. Evite frituras e alimentos gordurosos.

4. Controle o consumo de massas, pães e carboidratos em geral, evite consumir dois tipos destes na mesma refeição. Exemplo: arroz com macarrão, batata com arroz, pães nas refeições.

5. Não esqueça de tomar líquidos durante o dia.

6. Elabore sua refeição bem colorida e variada. Exemplo: Arroz, feijão, alface, cenoura ralada, frango com cebolinha, suco de goiaba e gelatina de abacaxi. Coloque no seu prato alimento de várias cores e sabores.

7. Utilize óleos vegetais em pequenas quantidades no preparo de alimentos.

Anúncios

Terapia nutricional na Hipertrigliceridemia

colesterol_dieta

Pacientes com níveis muito elevados de triglicérides e que apresentem quilomicronemia, devem reduzir a ingestão de gordura total da dieta. Recomenda-se a ingestão de no máximo 15% das calorias diárias na forma de gordura. Na hipertrigliceridemia secundária à obesidade ou diabete, recomenda-se, respectivamente, dieta hipocalórica, adequação do consumo de carboidratos e gordura, controle da hiperglicemia, além da restrição total do consumo de álcool (SPOSITO e BERTOLAMI, 2007).

A abstenção do consumo de álcool é recomendada não só para a hipertrigliceridemia, mas para todos os tipos de dislipidemias (como as hipercolesterolemias), pois é freqüentemente acompanhado de aumento dos TG e, às vezes dos quilomícrons. Além disso, também devem ser incluídas atividades físicas com freqüência, cerca de três a seis vezes por semana, com aproximadamente 40 minutos de exercício aeróbico, que deve ficar na faixa de 60-80% da freqüência cardíaca máxima (SPOSITO e BERTOLAMI, 2007).

O tratamento primário da hipertrigliceridemia é a modificação do estilo de vida, que inclui o controle do peso, dieta pobre em gordura saturada e colesterol, exercícios regulares, não fumar e, em alguns pacientes, restrição ao uso de bebidas alcoólicas. A hipertrigliceridemia normalmente acompanha a obesidade, sedentarismo e intolerância a glicose. O tratamento farmacológico estará indicado nos casos de doença coronariana, história familiar de DAC precoce, hipercolesterolemia concomitante com HDL baixo ou hipertrigliceridemia por alteração genética que reconhecidamente leve a um risco aumentado de DAC como na disbetalipoproteinemia e na hiperlipidemia familiar combinada (ISOSAKI, 2006).

Água: Alimento Essencial à Vida!

planeta

Por que a água é tão importante?

Homem:
– O sangue  que irriga e alimenta nosso corpo é constituído também por 70% de água.
-Deixando de beber água, uma pessoa tem apenas 3 dias de vida. Em 72 horas perde 13 litros de água do corpo e morre.
-Diariamente um adulto perde cerca de 1,5 litro de água, ou seja: por meio da urina – 1 litro; da transpiração – 200 ml; da respiração – 100 ml e da evacuação – 200 a 300 ml. Para suprir essa falta e manter o bom funcionamento orgânico, o mecanismo da sede é acionado.
Indústria

Na indústria, para se obter diversos produtos, as quantidades de água necessárias são muitas vezes superiores ao volume produzido.
As fábricas utilizam água em processo de limpeza e resfriamento de máquinas. E, mais diretamente, como matéria-prima, no caso das indústrias de alimentos e papel e, claro, de água mineral.
Agropecuária:
A água pode representar até 90% da composição física das plantas. A falta d’água em períodos de crescimento dos vegetais pode destruir lavouras e até ecossistemas devidamente implantados.
Atualmente, a maior parte da água doce do planeta (aproximadamente 70%) é utilizada para irrigar plantações em lugares onde a quantidade de chuva não é suficiente.
Geração de Energia:

No Brasil, a água é a principal fonte de geração de energia elétrica. Para isso, os rios são represados e a força da queda d´água movimenta as turbinas, gerando eletricidade.
Esporte, Lazer e Turismo:
São várias as atividades de lazer que a água proporciona, desde a prática de esportes náuticos como iatismo e remo, até exercícios relaxantes como a natação e banhos de rios e de cachoeira.
Consumo Doméstico:
A água é usada em inúmeras atividades cotidianas e na higiene pessoal. Ela serve para tomar banho, lavar louças e roupas, fazer comida e para matar a sede.

A água encontrada nos alimentos:


A fração de água de um alimento pode ser representada pela umidade.
O teor de umidade permite a classificação do alimento em perecíveis e não perecíveis. Só por esta classificação fica fácil de compreender que a água promove processos químicos e bioquímicos nos alimentos.
Sendo assim, todos os processos de conservação dos alimentos giram em torno de modificar a fração de água, pois mantém os nutrientes em sua melhor proporção impedindo alterações físico-químicas, não modificando o valor nutritivo do produto.

Pães, Bolos e Biscoitos :
A maioria dos pães contém aproximadamente 35% de água.
Os biscoitos do tipo cream craker contêm entre 3 a 7% de água; os amanteigados, entre 3 a 6%; e os bolos e as tortas, de 20 a 35%.
Frutas:
As partes comestíveis da maioria das frutas geralmente contêm em torno de 80% de água. O teor de frutas secas é bem mais baixo: os damascos, por exemplo, só chegam a 30% de água e as passas de 15 a 18%.

Laticínios:
Os queijos brancos contêm cerca de 60% de água. Queijos amarelos, de 35 a 40%. Queijos brancos com casca contêm 50%. Manteiga e margarina contêm 16% de água, enquanto que a margarina dietética de baixo teor de gordura contém em torno de 50%. O leite contém 90% de água. A nata contém de 48 a 80%.
Peixes e Crustáceos:
O conteúdo de água de vários peixes é semelhante, sendo que o bacalhau, o haddock, o linguado, o salmão e a truta contêm 75%. A maioria dos crustáceos contém uma quantidade semelhante de água, mas alguns, como, por exemplo, às ostras, chegam a 85% de água.

Geléias e Pastas:
O mel tem 18% de água, enquanto as geléias e doces de frutas normalmente contêm de 20 a 30%. A geléia dietética tem um teor de água maior, em torno de 75%. As compotas cremosas de frutas têm 29% de água.
Aves, Carnes e Ovos:
A maioria das carnes bem passadas contêm de 40 a 50% de água; mal passadas e ao ponto, de 50 a 70%; salsichões e similares contêm aproximadamente 50%; salsicha tipo cachorro-quente, 55% e ovos contêm 74% de água.

Vegetais:
Alguns legumes, como o aipo e o pepino, chegam a Ter 95% de água. O brócolis e o repolho contêm de 90 a 92% de água; as cenouras, 88% e os tomates, 93%. Mesmo assada, uma batata ainda contêm 75% de água.

Umidade (Teor de água):

A determinação de umidade é uma das medidas mais importantes e utilizadas na análise de alimentos. A umidade de um alimento está relacionada com sua estabilidade, qualidade e composição, e pode afetar as seguintes características do produto:
Estocagem:
Alimentos estocados com alta umidade irão deteriorar mais rapidamente que os possuem baixa umidade. Por exemplo, grãos com umidade excessiva estão sujeitos a rápida deterioração devido ao crescimento de fungos que desenvolvem toxinas como a aflatoxina (cancerígeno).

Embalagem:
Alguns tipos de deterioração podem ocorrer em determinadas embalagens se o alimento apresentar uma umidade excessiva. Por exemplo, a velocidade do escurecimento em vegetais e frutas desidratadas ou a absorção de oxigênio (oxidação) em ovo em pó podem aumentar com o aumento da umidade, em embalagens permeáveis à luz e ao oxigênio.
Processamento:
A quantidade de água é importante no processamento de vários produtos, como, por exemplo, a umidade do trigo na fabricação do pão e produtos de padaria. Outro exemplo são as compotas de frutas.

Doenças transmitidas pela água:

* Febre Tifóide
* Febres Paratifóides
* Disenteria bacilar
* Amebíase
* Cólera
* Diarréia
* Hepatite infecciosa
* Giardíase
*Ascaridíase
* Ancilostomose ou amarelão
* Enterobíase ou oxiurose
* Esquistossomose

O que está acontecendo com a nossa água?

Alguns dados:
Estudo recente da revista Science (julho de 2000) mostrou que aproximadamente 2 bilhões de habitantes enfrentam a falta de água no mundo.
A cada 8 segundos morre uma criança por doença relacionada à água, como desinteria e cólera.
80% das enfermidades no mundo são contraídas por causa da água poluída,  5 milhões de pessoas por ano morrem por essas doenças.
20% das espécies aquáticas de água fresca já estão extintas ou em vias de extinção.
Os inseticidas usados nas lavouras, que destroem o fictoplacton existente nos rios, o qual é responsável pela renovação de 70% do oxigênio da atmosfera
A ONU confirma a previsão de guerras no Oriente, próximas do ano de 2021, causadas por disputas por fontes de água potável.

Como se divide a água no planeta:

97,5% salgada;
2,493% em geleiras e subterrâneas de difícil acesso;
0,007% doce e de fácil acesso.
O estoque de água potável hoje disponível no planeta é de 12,5 mil km3.
O Brasil tem 12% da água doce corrente do mundo.
Entre 1970 e 1995 a quantidade de água disponível para cada habitante do mundo caiu 37%.
Hoje, cerca de 1,4 bilhão de pessoas não têm acesso a água limpa.
A cada 8 segundos morre uma criança por doença relacionada à água, como desinteria e cólera.
80% das enfermidades no mundo são contraídas por causa da água poluída.


A face do desperdício:

Estima-se que em São Paulo as perdas cheguem a 40% da água tratada.

Nos países desenvolvidos, a tubulação acumula perdas de 30%.

Um banho de ducha de alta pressão consome 135 litros de água em 15 minutos.
Uma mangueira aberta por 30 minutos libera cerca de 560 litros.

Uma torneira aberta por 5 minutos desperdiça 80 litros de água.

Poluição: O Homem é o Grande Vilão!

Veja só que coisa triste: o homem é o único ser vivo que destrói o ambiente em que vive. Nenhum outro habitante do planeta polui o ar, contamina a água, devasta florestas…
É aí que mora o problema. A ação do homem é perigosa pois é feita em grandes proporções. A fumaça das indústrias, das queimadas e dos carros das grandes cidades enchem o céu de gases tóxicos. Os esgotos não-tratados e o lixo produzido por indústrias e por milhões de pessoas contaminam a água e o solo.

Produtos que mais poluem a água:

Os detergentes, óleos de cozinha, óleos de automóveis, gasolina, produtos químicos usados em indústrias, tintas, metais pesados (chumbo, zinco, alumínio e mercúrio).
Os materiais orgânicos presentes no esgoto (excrementos etc.) nutrem as bactérias aeróbias decompositoras. Por serem aeróbias, consomem o oxigênio diluído na água, podendo matar por asfixia a fauna ali existente (principalmente os peixes). Juntamente com essas bactérias, podem existir ou não os agentes patogênicos: vermes , etc.), protozoários (giárdias e amebas, etc.), vírus (hepatite etc.) e bactérias (leptospirose, cólera, febre tifóide etc.).

Mas o que eu posso fazer para ajudar?

Por mais pequena que seja, a nossa atitude pode fazer toda a diferença. Veja as dicas bem simples a seguir
Energia Elétrica:
-Ao sair de um cômodo apague a luz.
-Não demore no banho.
-Não deixe eletrodomésticos ligados quando não estão em uso.
“Economizar energia, além de fazer bem ao bolso, também contribui para o adiamento da construção de novas hidrelétricas, que causam grandes impactos ambientais ou para diminuição da exploração de recursos naturais não renováveis como o petróleo”

Lixo:
Reciclagem: é vista pelos governos e defensores da causa ambiental como solução para o lixo inorgânico (plásticos, vidros, metais e papéis). Com a reciclagem é possível reduzir o consumo de matérias-primas, o volume de lixo e a poluição.
Compostagem: é uma maneira fácil e barata de tratar o lixo orgânico (detritos de cozinha, restos de poda e fragmentos de árvores).
“Enquanto a água pode nos faltar, o lixo sobra. É lixo demais e ele sempre aumenta. Aumenta tanto que nem sabemos onde colocá-lo. Essa dificuldade é maior quando associada aos custos para se criar aterros sanitários. A situação torna-se  pior quando constatamos  que na maioria das cidades brasileiras o lixo é despejado em terrenos baldios ou nos “famosos” e inadequados lixões.”

Vazamentos:
Os vazamentos podem ser evidentes como uma torneira pingando ou escondidos,  no caso de canos furados ou de vaso sanitário. Para esse último, verifique o vazamento jogando cinzas no fundo da privada e observe por alguns minutos. Se houver movimentação da cinza ou se ela sumir, há vazamento.
Outra forma de detectá-los é através do hidrômetro. Feche todas as torneiras e confira se a caixa de água está cheia. Então vá ao hidrômetro e veja se o círculo existente no meio do medidor (meia-lua, gravatinha, circunferência dentada)  continua girando.

No banho:
Se molhe, feche o chuveiro, se ensaboe e depois abra para enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo cairá de 180 para 48 litros.
Ao escovar os dentes:
Escove os dentes e enxágüe a boca com a água do copo. Assim você economiza 3 litros de água.
Na torneira:
Mantenha as torneiras fechadas.

Na caixa d’água:
Não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.
Na lavagem de louças:
Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágüe tudo de uma vez. Na máquina de lavar louças são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheio.
Na limpeza de quintal e calçada: USE VASSOURA – Se precisar utilize a água que sai do enxágüe da máquina de lavar.

Regar jardins e plantas:
No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. Use mangueira com esguicho-revólver ou regador.
Lavar carro:
Com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina lavar roupa.

Conclusão:

Somos parte de um todo, se cada um de nós mudarmos um hábito em prol do meio ambiente, vamos ser testemunhas de uma mudança, não é idealismo e nem utopia, é uma questão de atitude!
O futuro do planeta está em nossas mãos!

A Alimentação saudável para crianças e adolescentes

vitamins boy

Siga os 10 passos!!

1º Passo:

Procure oferecer alimentos de diferentes grupos, distribuindo em pelo menos três refeições e dois lanches por dia.

 

2º Passo:

Inclua diariamente alimentos como cereais (arroz, milho, aveia, trigo, centeio), tubérculos (batata, inhame), raízes (mandioca, beterrabas, cenouras, rabanetes e nabo), pães e massas (macarrão, etc.) distribuindo esses alimentos nas refeições e lanches dos seus filhos ao longo do dia.

 

3º Passo:

Procure oferecer diariamente legumes e verduras como parte das refeições das crianças. As frutas podem ser oferecidas nas refeições, sobremesas e lanches.

 

4º Passo:

Ofereça feijão com arroz todos os dias, ou no mínimo cinco vezes na semana.

 

5º Passo:

Ofereça diariamente leite e derivados, e carnes, aves e peixes ou ovos nas refeições principais de seu filho.

 

6º Passo:

Alimentos gordurosos como frituras devem ser evitados. Prefira alimentos cozidos, assados ou grelhados.

 

7º Passo:

Evite oferecer balas, bombons, refrigerantes, sucos industrializados, biscoitos doces e recheados, salgadinhos e outras guloseimas no dia a dia.

 

8º Passo:

Diminua a quantidade de sal na comida.

 

9º Passo:

Estimule a criança a beber bastante água e sucos naturais de frutas durante o dia, de preferência nos intervalos das refeições, para manter a hidratação e a saúde do corpo.

 

 

10º Passo:

Incentive a criança a ser ativa e evite que ela passe muitas horas assistindo TV, jogando videogame ou brincando no computador.

 

 

Genômica nutricional: Você já ouviu falar?

DNA-Posters

Genômica Nutricional: Novos Estudos sobre as Interações entre Nutrição e o Genoma Humano

A genômica nutricional é o estudo das interações entre nutrição e o genoma, e inclui tanto a nutrigenômica quanto a nutrigenética (Figura 1). A terminologia ainda está sendo desenvolvida (Elliott & Ong, 2002, Müller & Kersten, 2003; DeBusk et al, 2005) e a definição de algumas das palavras-chave usadas nesta revisão é apresentada na Tabela 1. Por combinar novas tecnologias aos estudos da nutrição clássica, esta abordagem integrada tem como objetivo compreender como a dieta interage com o genoma humano para influenciar a saúde e a doença (Mathers, 2004; Ordovas & Corella, 2004).

Diversas pesquisas estão sendo realizadas no mundo todo, envolvendo uma extensa rede de pesquisadores (Kaput et al, 2005). A União Européia desempenha um papel central na genômica nutricional e a European Nutrigenomics Organisation (Organização Européia de Nutrigenômica) engloba 22 organizações de 10 países europeus. Organizações tais como a Nutrigenomics, dos Estados Unidos, e a Nutrigenomics da Nova Zelândia, também participam de amplas colaborações de pesquisas multidisciplinares (Tabela 2).

Interações entre o genoma, o meio-ambiente e agentes patogênicos têm conseqüências imediatas e a longo prazo, na saúde e na doença (Dauncey, 2004; Dauncey & White, 2004). Com doenças poligênicas multifatoriais, tais como a obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer, é provável que a genética, a nutrição e o estilo de vida possam ser usadas para identificar os riscos e as intervenções alvo. A compreensão molecular de como a nutrição afeta o corpo como um todo, por alterar a expressão e a função genética, deve permitir a avaliação de requerimentos nutricionais individuais, e promover a melhora da saúde e da qualidade de vida.

Por diversos anos, o conhecimento detalhado de genes específicos favorece pesquisas sobre diversos aspectos das interações nutrição-gene. O seqüenciamento do genoma humano e o desenvolvimento de tecnologias de alta qualidade agora também permitem a realização de pesquisas sobre o impacto global da nutrição em células, tecidos, órgãos e sistemas fisiológicos específicos.


Autores

Dra. S. Astley

PhD – Gerente de Comunicação, The European Nutrigenomics Organisation (NuGO), Institute of Food Research, Norwich Research Park, UK.

Prof. Dra. M. J. Dauncey

PhD, ScD, FIBiol – Fellow do Wolfson College, Universidade de Cambridge, Reino Unido – Cientista Sênior & Orientadora em Ciências Nutricionais e Biomédicas – Professora Visitante em Instituições Internacionais